Comissão de Obras discute asfalto de qualidade questionável na Vila Sororó

A pedido do vereador Tiago Koch, a Comissão de Desenvolvimento Urbano, Obras, Serviço Público e Transporte reuniu com o secretário municipal de Viação e Obras Públicas, Fábio Cardoso Moreira, o engenheiro civil da Construtora Zucatelli, João Batista de Andrade Neto e representantes da Vila Sororó para tratar da obra de pavimentação asfáltica naquela comunidade.

O vereador Nonato Dourado, presidente da Comissão, lembrou que a reunião foi pedida pelo vereador Thiago para que a empresa responsável pudesse responder os questionamentos dos parlamentares sobre a execução da obra. Thiago subscreveu no ofício expedido para convocação da reunião que os assuntos para discussão são prioritariamente drenagem, terceirização da sarjeta e meio fio, que os funcionários das terceirizadas afirmam que não receberam pagamento, e sobre os trechos com recorte no pavimento, o que não era para ocorrer, visto que a obra é nova.
O vereador ainda frisou que esteve na vila para debater o orçamento de 2020 e recebeu a denúncia de que as pessoas que trabalharam na sarjeta e meio fio não receberam da empresa. Outro ponto abordado pelo parlamentar é a soltura da capa de pavimentação, com buracos. “Existem vários pontos com panelas e na lateral há trinca. Várias pessoas nos cobraram sobre esse asfalto”.
Mariozan Quintão corroborou sobre a questão do trabalho realizado e disse que presenciou os problemas mencionados pelo vereador Thiago sobre o asfalto. “Essas obras devem ser bem feitas, tenho certeza de que será corrigido”.
Empresário do local, Enilton Souza informou que existem trechos da obra que estão afundando e há perigo para a comunidade. “Já aconteceu acidente por causa da obra, tem até um pau dentro do buraco para identificar para não haver mais acidentes”.
João Batista Correa de Andrade, engenheiro da Construtora Zucatelli, falou sobre o pagamento para os funcionários da terceirizada, alegando que a situação já foi regularizada. Sobre as panelas na obra, o responsável pela empresa disse que ocorreu um erro de topografia, as panelas forma criadas, propositalmente, para ajudar a solucionar a questão. “Temos a previsão de até o final deste mês corrigir esses problemas”, garantiu
Paulo Roberto, presidente da Associação de Moradores, colocou que as bocas de bueiro oferecem risco e alguns carros já caíram lá dentro. Ele ainda disse que as duas vias deveriam ser asfaltadas, mas apenas uma chegou até o final, enquanto a outra ficou para trás. “Precisamos de uma obra bem feita. Precisamos ajustar para melhorar a qualidade do asfalto”, clamou Paulo.
Fabio Moreira, secretário de Obras, enfatizou que a obra ainda não foi entregue e que a empresa está corrigindo os problemas que ocorreram. “Ainda teremos sinalização, iluminação e lombada para o local. Tudo que é proposto é avaliado de forma conjunta, como os propositores e a gestão. Sobre os problemas que houve, a empresa foi acionada e prometeu resolver. O prefeito disse que não gostou do acabamento do final do trecho no sentido Marabá Parauapebas, por exemplo. Até o final da obra, ela será entregue em perfeito estado de qualidade. Se houver qualquer problema à frente, existe a garantia da obra. Reconheço que está atrasada, e queremos que termine até a primeira quinzena de janeiro, antes do início grosso das chuvas”.
Os vereadores Gilson Dias e Nonato Dourado também se posicionaram firme ao lado da qualidade e questionaram a empresa e a Prefeitura. Como encaminhamento, a Comissão deixou para que os vereadores possam ir juntamente com representantes da PMM e Caixa receber a obra ao término das correções feitas pela empresa, para acompanhar a medição e qualidade do que foi executado.