Vereadores cobram melhorias no transporte coletivo

A prestação de serviço por transporte coletivo em Marabá voltou a sofrer críticas dos vereadores. Na sessão desta terça-feira, dia 25, eles lembraram que a empresa que ganhou a licitação, Integração, tinha 60 dias para a regularização do fornecimento dos serviços, que encerraram dia 10 de agosto, e agora, a empresa solicitou mais 60 dias para a adequação.
Morador do complexo São Félix, o vereador Márcio do São Félix disse estranhar que a empresa Integração tenha pedido prorrogação quando já conheci a realidade da cidade, pois já explorava o serviço de forma emergencial em Marabá. “Nesse período todo em que esteve operando como empresa tampão, teve a oportunidade de conhecer bem a logística e não se preparou para assumir no prazo previsto. Entendo que essa empresa, por questões administrativas, não dará conta de prestar o serviço”, prevê.
Para o vereador, é preciso que o Poder Público analise a situação, e que o sistema de transporte coletivo praticado hoje parece ser inviável e arcaico. “Da forma como se apresenta não dá. Temos horários de picos em que há oferta maior de passageiros, depois desse horário, as demais modalidades diminuem a oferta e ficam apenas os ônibus. No Bairro São Félix, por exemplo, não temos moto táxi e dependemos muito dos ônibus”, lembrou.
Em seguida, Márcio convocou a Câmara para convidar um engenheiro de tráfego para verificar a possibilidade de se abrir para que pequenas e médias cooperativas de vans possam prestar o serviço, visando melhorar o transporte para a população das áreas menos favorecidas.
O vereador Ray Athie também teceu críticas ao transporte coletivo de Marabá. Para ele, a empresa que venceu a licitação veio para tapar buraco, porque a outra, que prestava o serviço, ganhou na justiça o direito de se retirar do processo. Mas reconhece que os ônibus ofertados à população, atualmente, são sucateados. “Eles não têm qualidade para o transporte da população de Marabá. Temos de ver essa situação urgente. Senão não há como realizar o transporte por ônibus, que abram espaço para as vans”, alardeou.
Para o vereador Alecio Stringari, é necessária uma discussão ampla para debater se alguma empresa de transporte coletivo dará conta de prestar o serviço em Marabá. “Tem de se fazer uma distribuição para que alguns lugares não haja excesso de veículos, e em outros locais faltem, deixando a população sem ser atendida adequadamente”, sustentou Stringari.