Vereadores criticam corte no orçamento para Segurança Pública

Orçamento do Governo do Estado de 2018 prevê corte de R$ 62 milhões na Segurança Pública

Na sessão desta terça-feira, dia 5, o vereador Nonato Dourado trouxe ao Plenário da Câmara um assunto preocupante e que pode agravar ainda mais os índices de violência em Marabá. Dourado explicou que o orçamento do Governo do Estado de 2018 traz um corte de R$ 62 milhões na Segurança Pública. 
Apenas para o Corpo de Bombeiros do Estado haveria um corte de R$ 10 milhões; Para a PM R$ 6 milhões. “Os quarteis do Estado do Pará precisam melhorar e os prédios dos destacamentos também, sem a mínima condição de trabalho para os policias, como é o caso de Morada Nova”, alfinetou Nonato.
O vereador Cabo Rodrigo foi outro que mostrou-se indignado com a situação e avaliou que a Lei Orçamentária que tramita na Alepa é “lamentável”. “Com o corte de R$ 46 milhões na Polícia Civil, como irão investigar sem recursos? Com isso, quem perde é o Instituto de Perícia e a investigação. Cada vez será mais difícil elucidar os crimes. A população ficara ainda mais desprovida do policiamento ostensivo e investigativo”, esbravejou Rodrigo.
Um estudo identificou que ainda de acordo com a Lei Orçamentária Anual (LOA), ganham um incremento na receita órgãos ligados a políticas sociais, como Ideflor, Cred-Cidadão, Propaz e até mesmo a vice-governadoria.
O remanejamento de valores beneficia ainda os centros regionais de Governo de Altamira, Breves, Itaituba, Marabá, Redenção e Santarém em mais de R$ 4,6 milhões no total. “O governador está tirando dinheiro da Segurança Pública para colocar em frentes onde estão os seus ‘apadrinhados’ que farão politicagem para ele nas eleições de 2018”, acusa Tércio.